segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Ano Novo

Promessas 2014


Passamos o ano inteiro nos prometendo coisas.

E aos outros também.

Todavia é na última semana do ano, provavelmente por causa do balanço existencial, que mais pensamos sobre o assunto.

Tem gente que faz até uma lista.

E o que são promessas se não expectativas que despertamos no coração?

São propósitos que colocamos nas nossas vidas e nas daqueles que convivem conosco.

É fácil prometer coisas.

Difícil mesmo é cumprir tudo o que falamos ou pensamos.

Acordamos com nossas promessas, sonhos que, se não atingidos, vão se desfazer da mesma forma que a confiança que depositam em nós.

Antes de prometer algo a alguém ou a si, pense: a portinha que se abre com uma promessa fica sempre aberta e só se fecha quando a mesma se cumpre.

E se ela foi feita assim de uma maneira qualquer, haverá sempre o vazio de algo não realizado na vida nossa e na da outra pessoa.

Evite então as promessas se você não sabe controlar o dia de amanhã com todas as surpresas que ele pode trazer.

Não prometa amor eterno: ame, ame e ame eternamente!

Ame tanto quanto seu coração suportar!

Não prometa felicidade: lute para transformar todos os momentos dos que te encontram em instantes felizes.

E se por acaso a promessa for inevitável, que caia o mundo, mas cumpra o prometido!

A fidelidade aos nossos princípios e aos nossos objetivos é fundamental a nós mesmos, ela nos enraíza nos dá coragem e aumenta nossa autoconfiança.

E lembre-se:
Muitas das coisas que cumprimos são promessas que não fazemos.

Então, o importante mesmo não é ficar abrindo portas da esperança de um lado e outro, mas viver de maneira tal que, a cada fim de dia, possamos repousar a cabeça com a consciência de que, seja como for, nós tenhamos dado o melhor da gente



Feliz 2014

Eliane de Pádua